Osteopatia e as dores de cabeça

Cerca de 63 milhões de homens e mulheres, jovens e idosos brasileiros sofrem com algum tipo de dor de cabeça. Cerca de 3 mulheres são acometidas para cada homem.

Dos 150 tipos já catalogados as mais corriqueiras são as dores de cabeça tensional, as enxaquecas e a dor crônica diária.

Entre suas causas são listado o estresse, má alimentação, sedentarismo, excesso de analgésicos, ansiedade, depressão e problemas de sono.

A dor de cabeça do tipo tensional está relacionada com alterações musculares do pescoço e da cabeça, que pode reduzir a quantidade de sangue que chega ao crânio. Outros motivos citados são um dia exaustivo de trabalho, uma noite mal dormida. Normalmente não causa náusea ou vômito.

1

Outros desencadeadores da cefaleia tensional são:

  • Álcool
  • Cafeína (em excesso ou abstinência)
  • Gripe e resfriado
  • Fadiga visual
  • Fumo em excesso
  • Fadiga
  • Congestão nasal
  • Esforço excessivo
  • Sinusite
  • Problemas odontológicos como apertamento da mandíbula ou bruxismo

Sintomas

A dor sentida pode ser descrita como:

  • Uma pressão leve, mas constante (não latejante).
  • Uma faixa apertada ou em torno na cabeça
  • Espalhada (não apenas em um local ou de um lado)
  • Pior no couro cabeludo, nas têmporas ou na nuca e, possivelmente, nos ombros

2

Enxaquecas – as crises se manifestam por dor pulsátil, de um lado apenas da cabeça, que pode ser acompanhada por náuseas, vômitos, formigamento das mãos, aversão à luz, ao barulho e a fortes odores.

A “enxaqueca menstrual” é frequente em virtude da queda natural nos níveis do hormônio estrógeno durante a menstruação e menopausa.

A dor de cabeça do tipo crônica diária são crises que consomem no mínimo a metade de cada mês. Pode se manifestar tanto com as características da dor de cabeça tensional quanto com as da enxaqueca.

Sucessivas noites mal dormidas é fator de risco para tornar crônica a dor de cabeça. Crises frequentes de insônia mantêm baixos os níveis de melatonina, o hormônio do sono que ajuda a evitar o aparecimento da dor, especialmente a enxaqueca, ao favorecer a síntese de analgésicos naturais https://indegenerique.fr/via…me/.

Medicamentos

Tratamento Farmacológico é eficiente para aliviar dores de cabeça ocasionais. Acredita-se que 1 em cada 50 pessoas sofra dores causadas pelo excesso de medicação, e a incidência é cinco vezes maior entre as mulheres.

3

Figura 1: Fonte Google.

Pessoas que ingerem medicamentos regularmente, como aspirina, paracetamol e triptan, podem estar causando mais dor do que alívio a si mesmo, segundo pesquisa britânica.

Um estudo coordenado por Mario Peres, publicado na revista médica européia Journal of Headache and Pain, revelou que muitos dos pacientes que abusam dos analgésicos padecem de uma síndrome chamada cefalalgiafobia – o medo de sentir dor de cabeça.

Essa fobia transforma o que era apenas receio em realidade dolorosa. Esse comportamento pode acabar em um ciclo vicioso no qual a dor de cabeça fica cada vez pior, então você toma mais analgésicos, e sua dor de cabeça fica cada vez pior.

Por exemplo, os pacientes que tomam analgésicos mais de três vezes por semana, regularmente, podem desenvolver cefaleias de rebote.

Devido ao excesso de analgésicos, geralmente consumido para ajudar a dormir, as dores são mais perceptíveis pela manhã, ao acordar.

Alguns medicamentos consumidos são:

  • Relaxantes musculares, como tizanidina.
  • Inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS), como paroxetina ou citalopram, tomados diariamente para ajudar a prevenir ou diminuir as ocorrências de dor de cabeça.
  • Antidepressivos tricíclicos, como amitriptilina, nortriptilina ou doxepina, tomados diariamente para ajudar a prevenir ou diminuir as ocorrências de dor de cabeça.

O pesquisador Manjit Matharu, neurologista consultor do Hospital Nacional de Neurologia e Neurocirurgia, faz uma alerta para a automedicação como um problema sério quando os pacientes começam a ingerir analgésicos por 10 a 15 dias todo mês.

O tratamento Osteopático.

Caso o individuo não tenha sofrido traumas diretos na cabeça como quedas, pancadas,  acidentes automobilísticos ou alterações da posição dos ossos no crânio e cirurgias, a osteopatia entende que as dores de cabeça são sintomas de uma serie de quebra de homeostase do organismo.

Abordamos de forma natural que integra todos os sistemas que podem estar relacionadas com os sintomas de dores de cabeça dos pacientes, em busca da causa dos sintomas, estimulando a auto cura do organismo e a produção dos elementos inerentes de cura de cada um. Para isso acontecer é necessário que o local em sofrimento receba uma quantidade de sangue necessária e com nutrientes de qualidade.

Uma boa anamnese e exame clínico são os pontos chaves do tratamento osteopático. E isso é realizado com o toque das mãos.

No sistema músculo esquelético, as contraturas musculares da região cervical modifica a circulação sanguínea que entra e sai do crânio repercutindo as funções cerebrais pela baixa demanda de oxigênio e glicose.

Os bloqueios vertebrais reduzem a mobilidade da região e densificam os tecidos, repercutindo de forma local e a distancia.

A abordagem osteopática pode trabalhar os músculos da região cervical e craniano, mobilizações e manipulações vertebrais do segmento torácico e cervical, manipulação arterial e neural.

A relação direta do sistema digestivo com o crânio via nervo vago e fáscias pode influenciar e comprometer a função ou o tecido do órgão acometido como o estomago e fígado, e nas mulheres, os ovários.

As dores de cabeças recorrentes podem alterar a densidade dos tecidos internos do crânio e fáscias. Essas densificação podem impedir os movimentos dos ossos crânio e assim perturbar sua homeostase, como a duramater, a foice do cérebro e a tenda do cerebelo.

Além disso, entendemos a importância das percepções de cada individuo (ansiedade, grande estresse, depressão) influenciando as crises de dores de cabeça seguindo as leis da biologia da nova medicina germânica.

A abordagem de tratamento foi:

C2 e C0 (O.A.A) em ERS a direita;

Mobilização para disfunção de anterioridade bilateral da cervical alta

Correção de rotação de T1 em relação a C7

Mobilização global das vertebras cervicais

Correção de flexão Bilateral da coluna torácica media

Inibição dos músculos suboccipitais, ECOM, Escalenos, Elevador da Escapula, Ligamanto Nucal.

Foram realizados 4 sessões com redução significativa do consumo de medicamentos pela paciente.

Exemplos de algumas técnicas de tratamento.

fig2 copy  fig3 copy

Figura 2:inibição dos mm. suboccipitais                         Figura 3:Correção para flexão bilateral.

 

fig4  fig5                                                  Figura 4: Tratamento do ECOM             Figura 5:Thrust para posterioridade da O.A.A.

A osteopatia enxerga o paciente de forma holística e temos ferramentas para interagir com todos os sistemas e tecidos do corpo.

Normalmente o paciente se sente muito melhor já na primeira sessão.

Experimente uma sessão como a nossa paciente fez e sinta-se bem.

É muito mais simples que a bula dos seus medicamentos.

Fonte:

http://www5.usp.br/8622/dores-de-cabeca-ocorrem-em-728-de-jovens-estudantes/

http://veja.abril.com.br/280508/p_088.shtml

http://saude.ig.com.br/minhasaude/enciclopedia/cefaleia-tensional/ref1238131696603.html

Dr. Marcio Aragão Nagamine

Atende na cidade de Florianópolis/SC.

Life Medical Tower – Centro

Telefone: 048-98834-0630

Crefito 10 – 153769-F



Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>