As novas abordagens miofasciais

Escrito por: Prof° Ft. Márcio Valsechi Júnior

Na forma convencional, de estudo anatômico, é difícil observarmos a integridade funcional da fáscia. A palavra “fáscia” significa: Aponeurose ou expansão aponeurótica, sendo esta uma membrana fibrosa branca, brilhante e resistente. Reveste os músculos e todas as estruturas corporais, possibilitando proteção, forma, movimento e resistência.

São compostas basicamente por células fibrosas de elastina e colágeno e pela substância fundamental amorfa. A elastina é uma estrutura proteica de longa duração, a qual demora a ser renovada. Em contrapartida o colágeno é uma proteína de curta duração, sendo renovado por toda a vida. Já a substância fundamental amorfa é formada por glucosaminoglicanos (GAG) e grande conteúdo de H2O, possuindo uma constituição gelatinosa que atua como lubrificante, limpador e distribuidor de nutrientes. A concentração de GAG está diretamente relacionada com a necessidade do grau de viscosidade (gel ou sol) de determinado segmento corporal. Isto porque, os GAG são quem tem a função de absorver a H2O.

Com isso, as propriedades biomecânicas das fáscias dependem do número e da orientação das fibras de colágeno em relação à proporção de substância fundamental amorfa e da proporção entre quantidade de fibras de colágeno e elastina.

Podemos dividir as fáscias em superficiais e profundas. As fáscias superficiais se estendem desde o plano subdérmico até as fáscias musculares. Compõem-se de numerosas membranas horizontais, muito finas, sendo este o local de armazenamento das células adiposas. Já as fáscias profundas conectam os diferentes sistemas corporais: músculos, vísceras, meninges, juntamente com as conexões internas de cada sistema. É mais densa e mais forte, sendo que sua densidade e espessura dependem do local e da função que desempenha, visto que, à medida que aumenta a exigência das necessidades mecânicas, se densifica a estrutura de colágeno, seu principal componente.

Em qualquer região que houver um componente de restrição fascial, seja ele craniano, visceral, neural, arterial, muscular ou articular, proporcionará tensões e adaptações por todo o organismo. Isso deixa algumas regiões mais propensas a lesões e dependendo do meio ambiente do paciente estas propensões podem transformar-se em lesões https://mannapotheke.de/cialis-generika/.

Maus hábitos posturais, movimentos rotineiros de forma inadequada, cirurgias, excesso de estresse físico ou emocional são alguns dos fatores que podem estar ligados ao desalinhamento físico em relação à gravidade, sobrecarregando o sistema miofascial podendo gerar doenças.

Podemos encontrar o sistema fascial com excesso de encurtamento ou demasiado estiramento. Em ambas as situações a função corporal estará afetada. Estas desordens fazem com que as estruturas contidas internamente às fáscias se adaptem também em um encurtamento ou estiramento excessivo. Isto faz com que os músculos, por exemplo, percam sua capacidade de contratilidade e fiquem propensos a lesões .

Estas alterações promovem um aumento do tônus muscular e a instalação de pontos gatilhos, e os mesmos podem projetar dores referidas, limitando a qualidade de vida deste indivíduo. Existem diversas formas de liberar todo esse mecanismo de lesões. Entretanto, a Osteopatia possui ferramentas pontuais onde consegue, através de intervenções manuais, diagnosticar os locais reais onde iniciaram essas tensões e consequentemente eliminar toda essa cadeia lesional. Para isto, utilizamos técnicas de liberações muito sutis, no entanto, com uma enorme potência. Leonardo da Vinci já dizia: “Conseguir o máximo com o mínimo”.

Segundo J. P. Barral, o objetivo do tratamento fascial é de recriar, harmonizar e aumentar a comunicação proprioceptiva no corpo, estimulando seu mecanismo interno, para uma saúde melhor.

Liberando o sistema fascial, liberamos os tecidos que nele estão contidos. Sendo assim, as fibras de actina e miosina possuem uma maior capacidade de contratilidade e relaxamento, proporcionando consequentemente um reequilíbrio do tônus, harmonizando todo este sistema.



Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>